05 jun

Sobre o inevitável Zelda mobile

Então, umas duas semanas atrás, o Wall Street Journal (um site que, diga-se de passagem, publica muitos rumores sobre a Nintendo, e até acerta bastante) publicou uma matéria afirmando que a Nintendo já está preparando o jogo mobile de Zelda, e que ele será lançado após o Animal Crossing para smartphones.

Até a Nintendo fazer o anúncio oficial, isto ainda é apenas um rumor, mas vamos ser sinceros: mesmo que a matéria esteja errada e o jogo ainda demore mais uns três anos pra sair, é inevitável que eventualmente tenhamos um Zelda para smartphones. A empresa já afirmou que toda e qualquer franquia sua pode ter um jogo mobile, e como Zelda é uma das maiores que ela tem, faz todo o sentido do mundo sair um jogo da série para smartphones.

Por isso, queria usar o vídeo de hoje para refletir e especular sobre uma questão importante: como diabos vai funcionar um Zelda mobile?

Esta é a transcrição do vídeo de mesmo nome que está no meu canal do YouTube. Vão lá conhecer!

Leia mais

24 fev

Sobre o sucesso (?) de Super Mario Run no mercado

Então, conforme prometido, hora de analisar o sucesso de Super Mario Run.

Esta é a transcrição do vídeo de mesmo nome que está no meu canal do YouTube. Vão lá conhecer!

Como falei no vídeo anterior, sucesso pode ser medido de várias maneiras a partir de diversas métricas, se tornando algo complexo e, em certo grau, subjetivo. Para realmente entender o sucesso de um jogo, é preciso saber ver o todo.

Só que eu sinto que ainda não dá pra realmente avaliar o todo de Super Mario Run. Na minha opinião, ainda não passou tempo o suficiente para realmente entendermos seu sucesso do ponto de vista cultural, ou seja, qual foi o impacto dele no zeitgeist videogamístico.

Leia mais

02 dez

Sobre jogos que seqüestram o som do seu celular

Antes de começar, só um aviso: este vai ser um post nada sensato, mas muito gamer. Vocês vão entender.

O que faz um jogo para smartphone ser bom?

Simplicidade dos controles? Facilidade de começar e parar de jogar a qualquer momento? Um estilo visual interessante? Preço baixo? Capacidade de viciar e forçar o jogador a gastar dinheiro através de armadilhas psicológicas dignas de um casino corrupto de Las Vegas (redundância)?

Provavelmente a mistura de todos esses fatores, tirando o último, que só é bom para analistas financeiros sociopatas (redundância 2) e desenvolvedores escrotos.

Eu tenho alguns critérios pessoais para medir a qualidade de um jogo mobile, mas o principal deles é se o jogo entende que vai ser jogado num smartphone.

Leia mais