31 jul

Sobre Pokkén e a habilidade de agradar profissionais e button-mashers

Minha última aquisição videogamística foi Pokkén Tournament. Esperava um jogo de luta simples em que eu ia sair na porrada com pokémons de maneira mais direta diferente de Super Smash Bros, uma coisa bem button-mashing mesmo (ficar apertando todos os botões de maneira enlouquecida) só para ter o prazer de socar o Lucario na cara. O que não esperava era encontrar um jogo de luta complexo, com fases diferentes de combate, combos avançados e um sistema de balanceamento envolvendo ataques, contra ataques e agarrões à la jokenpô, além de mecânicas que aperfeiçoam elementos da série principal.

Texto originalmente publicado no site Sem Tilt em 06/04/2016.

Leia mais

08 jun

Sobre mainar o random

Sempre fui um grande fã de jogos de luta.

Tudo começou com Street Fighter II, que conheci num fliperama duma cidade no interior de São Paulo (não lembro qual) quando eu tinha uns 10 anos de idade e estava passando umas férias lá com a minha família. Era a máquina mais disputada do lugar, com filas enormes, e sempre com versus, nunca tinha alguém sozinho tentando derrotar o computador. Eu ficava mais assistindo que jogando, principalmente depois de ter tentado umas duas vezes e sido massacrado, já que eu não conseguia soltar nenhum golpe.

Leia mais