19 jul

Sobre a “solução” para chat de voz no Switch

Então, hora de falar de chat de voz no Switch. Tenho pensado muito sobre isto desde o Switchmas, mas fiquei empurrando o assunto pra depois porque sempre aparecia algo mais interessante pra falar antes.

Todavia, com o Direct de Splatoon 2, o tema voltou à tona, então finalmente estou aqui para falar da “solução” que a Nintendo encontrou para fazer chat de voz no Switch.

…É uma nintendice das fortes.

Esta é a transcrição do vídeo de mesmo nome que está no meu canal do YouTube. Vão lá conhecer!

Explicando para quem não sabe do que estou falando: chat de voz online no Switch, ou seja, poder conversar com seus amigos enquanto joga um game online, ao invés de funcionar através do aparelho, funcionará através de um aplicativo de smartphone muito poeticamente nomeado Nintendo Switch Online.

Para variar, um monte de gente não está entendendo a lógica por trás desta decisão da Nintendo. Afinal de contas, nos outros consoles o chat de voz acontece através do próprio, não há a necessidade de um celular. Quero dizer, faz tempo que consoles oferecem chat de voz, a porra do Dreamcast tinha chat de voz sem precisar de um telefone a mais. Também não é uma questão da Nintendo não saber como fazer, pois o Wii e o WiiU tinham chat de voz. Em uns dois jogos em cada um, mas tinham. Imagina, até o 3DS e o DS tinham chat de voz! Novamente, só nuns dois jogos em cada um, mas a questão é: tinha chat de voz online através do aparelho. E o Switch não tem. E quase ninguém sabe por quê.

Quem não se lembra desta maravilha tecnológica super intuitiva
e lógica, o Wii Speak?

Quase ninguém, porque eu, este ser iluminado que fica muito mais tempo pensando na Nintendo do que deveria, eu… também não sei exatamente por quê diabos o Switch não tem chat de voz. Acho que nem o Miyamoto sabe, isso tem cheiro de ser coisa do Koizumi e do Takahashi. Mas eu tenho uma hipótese.

Todavia, antes de falar sobre ela, acho importante esclarecer um detalhe sobre como a Nintendo lidou com chat de voz até hoje: ela nunca ofereceu esse serviço como parte integrante do sistema operacional do console ou da sua infraestrutura online. Tanto a Microsoft quanto a Sony possuem chat de voz como parte da Live e da PSN, respectivamente, então os desenvolvedores não precisam se preocupar com o funcionamento disso, deixando para o console resolver. A Nintendo, por sua vez, nunca ofereceu essa funcionalidade, forçando os desenvolvedores que quisessem implementar chat de voz online nos seus jogos a programá-la neles, como a própria Nintendo fez em Metroid Prime Hunters e Animal Crossing: City Folk, por exemplo.

De qualquer maneira, com o Switch, pela primeira vez a Nintendo estará integrando chat de voz aos seus serviços online, o que deve facilitar a vida de muito desenvolvedor. Só que, para nós, os usuários, a “solução” encontrada complica a nossa vida.

Assim posso voltar para a minha hipótese. Afinal de contas, por mais que sempre seja mais fácil declarar que “é só a Nintendo nintendando, nada do que ela faz faz sentido”, eu realmente quis tentar entender porque um app de smartphone foi a “solução final” que a empresa encontrou. E um último adendo: nunca tive que arquitetar e implementar uma rede de servidores e aparelhos em escala global para jogar games online com chat de voz, então tudo que estou falando é de um ponto de vista leigo. Se você já teve que fazer uma rede dessas ou similar e ver que estou falando merda, por favor me corrija, que eu adoraria aprender mais sobre o assunto.

Minha hipótese é que chat de voz online iria comprometer funcionalidades do Switch que, do ponto de vista da Nintendo, são mais importantes. O que eu quero dizer é que toda vez que a Nintendo teve que escolher entre chat de voz e alguma outra coisa, essa alguma outra coisa ganhou. Eu sei que esta resposta parece óbvia, mas eu quero mostrar toda a minha linha de raciocínio de como cheguei nela para vocês entenderem melhor o que eu quero dizer.

Vamos começar com uma pergunta muito pertinente: o que é necessário existir em um hardware para que chat de voz online funcione?

Pelo menos três coisas:

• Ele se conectar online;
• Uma maneira dele emitir o som recebido; e
• Uma maneira dele captar o som a ser enviado.

O Switch conecta online? Sim. Via Wi-Fi. Ponto. Não tem o que discutir aqui.

O Switch tem como emitir sons? Sim. Seja através das suas caixas de som no modo portátil, seja através das da televisão no modo console, o Switch tem como emitir sons. Dã.

O Switch tem como captar os sons a serem enviados?

A princípio… não.

Não tem um microfone no Switch. Em lugar nenhum.

E assim encontramos o X da questão: A Nintendo não conseguiu implementar um meio de captar os sons a serem enviados via internet de maneira satisfatória no Switch.

Como já falei, o Switch não tem um microfone, mas até aí os concorrentes também não. O que todos eles, incluindo o Switch, têm, é uma entrada para conectores de áudio de 3,5 mm. Toma essa iPhone 7! Logo, é possível plugar um microfone ou, melhor ainda, um headset para podermos conversar online.

O problema é onde fica essa entrada de áudio no Switch.

Os outros consoles resolveram isso de maneira elegante: as entradas ficam nos controles. Como eles ficam nas mãos do jogador durante todo o período de uso do console e suas mãos ficam consideravelmente mais próximas da sua cabeça do que o console normalmente fica, basta plugar um headset no controle para facilmente engajar em uma conversa online no PS4 ou no Xbox One. Simples.

Agora, no Switch, a entrada de áudio fica no Switch. Na tablet. E não nos Joy-Con. Então, para usarmos um headset com o Switch no modo console, teríamos que usar um cabo gigante atravessando toda a sala do console até nossas cabeças. Não é uma boa solução.

Esquema explicando como funciona o headset oficial de Splatoon 2, da Hori. Ele usa um conversorzinho que unifica o áudio do celular e do Switch no headset. Notem que ele ainda precisa de um cabo atravessando a sala saindo da tablet até o conversor.

Claro que daria pra usar um headset com o Switch no modo portátil, mas, para a Nintendo, é muito importante que a maior quantidade de funcionalidades do híbrido funcione nos dois modos. Logo, headsets só serem utilizáveis no modo portátil iria prejudicar a imagem do aparelho. Conseqüentemente, headsets não funcionam em nenhum dos modos.

Ah, pensa então você, assim como eu e mais metade da internet pensou, basta colocar a entrada de áudio nos Joy-Con! Que nem os outros consoles! Daria pra usar um headset tanto no modo console quanto no modo portátil! Problema resolvido!

Infelizmente não é tão simples assim. Por dois motivos.

O primeiro é espaço. Os Joy-Con não tem muito espaço interno sobrando, e imagino que colocar uma entrada de áudio neles iria comprometer alguma outra coisa, provavelmente a bateria ou os sensores de controles de movimento.

Falando neles, eles são o segundo motivo. Ia ser muito complicado jogar algo como ARMS online e ter um cabo saindo de um dos Joy-Con ligados a um headset na sua cabeça, a probabilidade de alguma merda acontecer é bem grande. Logo, para evitar outra onda de notícias de gente se machucando com um controle de movimento da Nintendo, ela preferiu não pôr a entrada de áudio neles. E não quero nenhum “gamer hardcore” enchendo o saco falando que “é só não usar os controles de movimento”, porque controles, de movimento ou não, são uma parte mais importante da experiência do que chat de voz. Se você discorda, por que você está usando um videogame sendo que existe essa invenção fantástica chamada telefone? Zero controles e 100% chat de voz!

A questão é: não ia rolar pôr a entrada de áudio nos Joy-Con. Todavia, eles não são o único controle disponível para o Switch, não é mesmo? Temos o controle Pro também, dava pra Nintendo ter colocado uma entrada de áudio nele.

Então, dar, até dava, e acho bem possível que algum dia a Nintendo lance um controle Pro com uma entrada de áudio. Mas essa também não é a solução ideal, tanto por criar uma barreira de custo para quem quer conversar online, já que o jogador teria que comprar o controle Pro, quanto por menosprezar os jogadores que preferirem jogar com os Joy-Con. A prioridade é mostrar que todas as opções de controles são viáveis e que o jogador pode escolher a que preferir. Forçar o controle Pro pra quem quisesse chat de voz iria contra esta idéia. Logo, sem entrada de áudio no controle Pro. Pelo menos por enquanto, ainda acho que se a Nintendo for mudar de idéia, vai ser com o controle Pro.

Assim chegamos na última solução possível, que vocês provavelmente estão berrando para mim fazem alguns minutos: headsets sem fio. A gloriosa magia do Bluetooth ao resgate!

É um pássaro? É um avião? Não, são as opções de colorização e saturação do Photoshop aplicadas sobre um desenho do Super-Homem!

Só que o Switch não suporta headsets Bluetooth. Imagina, nem fones de ouvido Bluetooth ele suporta, e isso é o tipo de coisa que deveria ter num aparelho portátil.

Muito bem. Esta é a parte que eu mais demorei pra achar uma explicação lógica, e a melhor que consegui tem uma boa chance de estar errada pois, como sempre falo, não manjo muito de hardware.

Seguinte: enquanto eu pesquisava sobre a tecnologia, achei uma informação interessante: há um limite para a quantidade de conexões Bluetooth que um aparelho pode ter de uma vez. Sete foi o número que mais vi pelas internets, mas muitas vezes vi também o adendo de que acima de quatro a conexão começa a ficar instável.

A partir disto, concluí que a Nintendo deve ter testado headsets Bluetooth e eles estavam comprometendo a conexão Bluetooth mais importante: dos controles. Principalmente quando lembramos que os Joy-Con são duas conexões Bluetooth com o console. Imagina, mesmo só com os Joy-Con algumas pessoas estavam tendo problemas de conexão. Por isso, acredito que a Nintendo tenha decidido restringir as conexões Bluetooth do Switch apenas para controles, e nada de headsets.

Resumindo: a Nintendo não encontrou uma maneira de fazer o híbrido captar áudio que não fosse prejudicar outro aspecto da experiência Switch. Por isso ela não pôde oferecer chat de voz online como é nos demais consoles.

“Foi mals.” – Reggie Fils-Aime, Presidente da Nintendo of America.

Mas, como ela queria, finalmente, oferecer chat de voz como parte do sistema operacional para os desenvolvedores, a solução encontrada foi usar este aparelho que muita gente têm e carrega consigo o tempo inteiro: o smartphone.

É uma solução boa? Sinceramente, não acho. Mesmo depois de toda a minha ponderação no assunto, ainda acho que é uma solução tonta, uma nintendice das grandes. Mas é a melhor solução ao considerarmos as alternativas. E a Nintendo sabe disso, por isso que ela está criando todo tipo de funcionalidade extra para o aplicativo, como convidar amigos para uma partida através dele e sei lá o que mais. Acredito até que essas funcionalidades extras vão ser mais cruciais que o chat de voz, pois se marcarmos uma partida de Splatoon 2 pelo aplicativo e ao abrirmos o jogo tivermos que refazer todo o processo de convidar os amigos e preparar o lobby, aí sim esse aplicativo vai deixar de ser uma solução e se tornar um problema.

Enfim, essa é a minha hipótese de como a Nintendo chegou no aplicativo de celular como solução para chat de voz no Switch. Mas e você? Acha que eu esqueci de alguma possibilidade? Tem idéias que seriam melhores que a solução da Nintendo? Deixe seu comentário aí e…

Até a próxima!

Comentários