10 jun

Sobre minhas previsões para a E3 2017

Então, está chegando a semana do hype desenfreado, a semana da E3. Eu sei que o evento todo não passa de uma grande propaganda da indústria dos games para hipnotizar os consumidores através de uma grande celebração capitalista, e que o ideal é adotarmos uma postura crítica e não nos deixar enganar por todas as luzes, toda a música e todos os frames por segundo.

Mas querem saber o quê? Foda-se! Eu adoro essa merda!

Esta é a transcrição do vídeo de mesmo nome que está no meu canal do YouTube. Vão lá conhecer!

Como esta é a primeira E3 do canal, resolvi fazer um vídeo de previsões, ou seja, chutar o que vai ser anunciado. Vou falar das três fabricantes de consoles e das grandes desenvolvedoras que terão uma conferência de imprensa. Só para ressaltar, o que vou falar é achismo, baseado em coisas que li pelas internets, então não fiquem com uma expectativa muito alta quanto ao meu índice de acertos. Também vou dar uns “chutes delirantes”, coisas que duvido muito que aconteçam mas que seriam interessantes se acontecessem.

Sem mais delongas, vamos começar, seguindo a ordem das conferências!

EA – 10/06 – 16:00

Muito bem, fazer previsões sobre a Electronic Arts, ou EA, para os íntimos, nesta E3 é complicado porque ela já anunciou a maior parte dos jogos que serão apresentados. Ela está organizando um evento paralelo à E3 para quem quiser jogar os diversos games que ela está pra lançar, e para hypear o evento, ela já listou tudo que vai estar presente:

  • Star Wars™ Battlefront™ II
  • FIFA 18
  • Madden NFL 18
  • NBA LIVE 18
  • Need for Speed™ Payback
  • The Sims™ Mobile e The Sims™ 4
  • Nova expansão para Battlefield™ 1
  • Novos conteúdos para Star Wars™: Galaxy of Heroes
  • Titanfall™ 2
  • Madden NFL Mobile
  • NBA LIVE Mobile
  • EA SPORTS™ FIFA para o Nintendo Switch

Desta lista, acredito que o principal jogo que a EA vai focar é Star Wars Battlefront 2, até porque teremos o Episódio VIII no final do ano. Parece que ela está trabalhando em uma campanha single player robusta, que era uma das principais críticas que ouvi sobre o primeiro. Ela fez o mesmo em Titanfall 2, que não vendeu tão bem, mas acho que o nome Star Wars é o suficiente pra garantir as vendas deste jogo.

Outro jogo que provavelmente vai receber muita atenção é o Need for Speed Payback. Nunca fui muito fã de jogos de corrida não-Mario Kart, então não tenho muito o que opinar aqui, mas fiquei com a impressão que a idéia por trás deste Need for Speed é ser Velozes e Furiosos: o Jogo. O que não é uma coisa necessariamente ruim, pois para mim boa parte desses filmes já pareciam um videogame mesmo, e se formos ver a bilheteria que eles dão, a EA pode ter nas mãos um grande sucesso.

De resto, temos o básico EA: jogos de esporte, versões bosta de jogos de esporte para consoles Nintendo, DLCs para jogos que já saíram e jogos mobile.

Todavia, imagino que ela tenha alguns jogos secretos, que obviamente não estão nessa lista, pra revelar. Minha principal aposta é a franquia nova da Bioware, conhecida pelo codinome “Dylan”, acho que ele vai ser a grande carta na manga da EA pra gerar hype. Até porque tanto ela quanto a Bioware devem estar desesperadas para fazer as pessoas esquecerem Mass Effect Andromeda, e anunciar um jogo novo é um jeito de fazer isso. De acordo com os rumores, vai ser um tipo de shooter MMO no estilo de Destiny, então não fiquem muito animados, fãs de RPGs.

Agora, meu grande chute delirante para a EA é um novo Dead Space em primeira pessoa e em realidade virtual retornando para suas raízes de survival horror, se espelhando no sucesso que foi Resident Evil 7. Isso é um delírio porque Dead Space 3 foi um considerado um fracasso pela empresa e não creio que ela esteja disposta a ressuscitar a franquia. Tendo dito isto, este Dead Space VR faz muito sentido, pelo menos na minha cabeça, e acredito que ele iria alegrar muita gente. Não eu, porque sou um cagão para jogos desse tipo, mas acho que há um público pra ele.

Microsoft – 11/06 – 18:00

Com a Microsoft, não tem muito o que adivinhar: Scorpio, Scorpio, Scorpio. Vai ser o foco dela, e acredito que veremos o console pela primeira vez assim como descobriremos o seu verdadeiro nome, já que Scorpio é temporário. Com certeza veremos vários jogos rodando melhor na máquina e a empresa vai se desdobrar pra convencer o mundo que vale a pena fazer o upgrade para o Scorpio, seja do Xbox One, do Xbox 360 ou mesmo do PS4. Que não tenham dúvida, a Microsoft vai fazer de tudo pra provar que vale mais a pena ir para o Scorpio que para o PS4 Pro, falando de teraflops, framerates e sei lá o que mais.

Só não tenho certeza se ela já vai anunciar a data de lançamento e o preço. Num mundo pré-Switch, sem dúvida ela iria anunciar isso na E3, mas como a Nintendo mostrou que soltar certas informações mais próximo do lançamento do console ajuda a manter ele na mente dos consumidores, acho possível que a Microsoft guarde essas informações para um evento exclusivo dela pra setembro ou outubro.

Dos jogos que já conhecemos, acho que ela irá focar mais em Crackdown 3, Forza e Sea of Thieves, mas tenho a sensação de que o grande jogo da conferência vai ser alguma coisa nova, não sei se de alguma franquia pré-existente, como Halo ou Gears of War, ou de uma inédita.

Mas sua grande cartada são os jogos de third-parties no Scorpio. Se ela demonstrar que os próximos Call of Duty, Assassin’s Creed e Destiny rodam melhor no console novo, ela pode roubar o show da Sony. A pergunta é se as third-parties estão dispostas a: um, fazer essas versões melhores para o Scorpio; e dois, se queimar com a Sony se a versão Scorpio for muito melhor que a do PS4 Pro.

De resto, provavelmente veremos mais sobre a integração Xbox – Windows, DLCs exclusivos e com certeza terá algum anúncio ligado a Minecraft. Além disso, espero algum tipo de menção ao fato da Microsoft respeitar o seu legado de games enquanto que a Sony caga e anda para os jogos que os gamers guardam com tanto carinho e possuem tantas memórias nostálgicas sobre.

O meu chute delirante pra Microsoft é que, caso ela anuncie o preço do Scorpio, ele seja US$400 e, aqui no Brasil, abaixo de R$2.500,00. Atrelado à isso, ia ser interessante o console lançar aqui no mesmo dia que no resto do mundo, e por resto do mundo quero dizer Trumplândia, Canadá e Europa, já que o Scorpio provavelmente não vai sair no Japão. A questão é que a Microsoft tem uma presença boa aqui e imagino que seja do interesse dela dominar o mercado brasileiro de consoles, que por mais que não seja tão grande quanto de outros países, é respeitável.

Bethesda – 12/06 – 01:00

Só pra não confundir, a conferência vai ser uma da madrugada de domingo, 11, para segunda, 12.

Bem, o que esperar da Bethesda? Sinceramente, esta é uma conferência que não tenho muita idéia do que pode acontecer, principalmente porque não acompanho muito os jogos da empresa. Os chutes mais óbvios são algo ligado a Elder Scrolls, algo ligado a Fallout e um Wolfenstein novo. Provavelmente teremos a ressurreição de alguma franquia antiga, que nem ela fez com Doom.

O grande rumor em torno da Bethesda é o Starfield, que seria um open-world que nem Elder Scrolls e Fallout mas no espaço. Depois da repercussão negativa de No Man’s Sky e Mass Effect Andromeda, imagino que muitos gamers estejam sedentos por uma experiência AAA open-world espacial decente, e a Bethesda está na posição perfeita pra satisfazê-los. Mas, como falei, é só um rumor, sei lá se esse jogo unicórnio é real.

Tipo Skyrim, mas no espaço.

Meu chute delirante para a Bethesda é um tanto óbvio: mais suporte para plataformas Nintendo. Vai sair Skyrim pro Switch, que será o grande termômetro pra saber se o público Nintendo vai comprar seus jogos, mas tenho a sensação de que o jogo não vai vender tão bem e a empresa vai abandonar o console. O problema é que Skyrim não é o jogo ideal para medir a disposição dos fãs da Nintendo com jogos da Bethesda porque nós já tivemos um Zelda open-world este ano. Fica um certo excesso de fantasias medievais.

No fundo, eu realmente gostaria que a Bethesda lançasse alguma coisa ligada a Fallout ou mesmo ao suposto Starfield pro Switch, pois eu acho que essas séries teriam mais chance de fazer sucesso que Elder Scrolls. Até porque, como a Nintendo matou, enterrou, desenterrou, cagou em cima e enterrou de novo de ponta cabeça Metroid e teve a pachorra de lançar aquela vergonha que é Star Fox Zero, os fãs da Nintendo andam sentindo falta de jogos bons de ficção científica. Pelo menos até o próximo Xenoblade Chronicles X.

Devolver Digital – 12/06 – 02:00

Novamente, só pra não confundir: esta conferência vai ser às duas da madrugada de domingo, 11, pra segunda, 12, que nem a da Bethesda. Acho até que elas vão entrar em conflito.

Muito bem: assim como a Bethesda, conheço muito pouco sobre a Devolver. Sei que ela lança jogos indie pra PC e mobile, como o Reigns, que eu adorei, e Downwell, que eu não gostei muito. Também sei que ela vai lançar Enter the Gungeon pro Switch.

O interessante é que ela resolveu fazer uma conferência ligada à E3 pela primeira vez, pois ela tipicamente não participa da exposição, preferindo fazer um evento próprio num estacionamento atravessando a rua de onde acontece a E3. Sério. A conferência aparentemente só está ligada à E3 no nome, pois a empresa vai expôr seus jogos no estacionamento atravessando a rua de qualquer jeito.

Para achar o evento da Devolver, saia da E3, atravesse a rua e procure por este balão.

No fundo, estou falando da Devolver só porque acho engraçado essa coisa toda do evento no estacionamento atravessando a rua, e que ela resolveu fazer uma conferência da E3 sem estar participando oficialmente da E3.

Tanto que a única previsão que consigo fazer é que ela vai anunciar um monte de jogos indie para consoles. Ponto. Não tenho mais o que acrescentar.

Mas, só pra não deixar de dar um chute delirante, aqui está um: Genital Jousting para consoles, incluindo o Switch.

Ia ser hilário.

Ubisoft – 12/06 – 17:00

Muito bem, a Ubisoft. Não sei o que tentar prever, pois praticamente tudo que ela teria pra anunciar já vazou. Provavelmente deve ter vazado mais algum jogo dela desde que eu comecei a escrever este texto. Até o vídeo estar no Youtube, então, já vamos estar sabendo de mais uns seis jogos.

Imagem vazada do próximo Assassin’s Creed.

Mas, já que estamos aqui, vamos falar do que provavelmente veremos na conferência: Assassin’s Creed Origins, Far Cry 5, Just Dance 2018, South Park The Fractured But Whole e o crossover de Mario com Rabbids. Com certeza vai ter mais alguma coisa ligada ao Tom Clancy e diversos pacotes de pré-venda e de DLCs. Qualquer coisa além disso vai ser uma surpresa, mas essa surpresa provavelmente vai vazar antes da conferência.

Imagem conceitual vazada do crossover de Mario e MInions Rabbids.

Meu chute delirante é um Child of Light novo. Sendo bem sincero, achei que o primeiro tinha diversos problemas e que muitas idéias não foram bem trabalhadas, mas, ao mesmo tempo, ele me pareceu um bom primeiro passo, por se assim dizer. Me parecia o tipo de jogo que a seqüência iria consertar o que precisasse e assim a franquia poderia continuar crescendo. Tanto que, na minha cabeça, a seqüência ideal não envolveria a Aurora, ou mesmo a terra de Lemuria, mas um lugar místico novo, com a mesma estética e narrativa de um conto de fadas. Seria uma série em que cada jogo seria um conto novo, mas com essa jogabilidade de RPG 2D e batalhas de turno. Infelizmente, tenho a impressão que a Ubisoft desistiu de explorar este filão de jogos bonitinhos com histórias fofinhas, imagino que o primeiro jogo não tenha vendido tão bem. Mas, de boa, eu topava uma seqüência dele até pra smartphones, onde a série teria mais chance de achar um público. É só a Ubisoft não entupir de microtransactions insuportAHAHAHAHA, desculpa, não consegui terminar a piada.

Sony – 12/06 – 22:00

Assim chegamos à grande rainha da E3, a Sony. Mil desculpas, fãs de Xbox e meus colegas fãs da Nintendo, mas a verdade é que nestes últimos anos a Sony aprendeu a anunciar games na E3 de maneira magistral, dominando praticamente toda e qualquer conversa pós-evento.

E como ela faz isso? Mostrando um monte de jogos mas sem anunciar data nenhuma. É brilhante, é só mostrar três segundos de um personagem andando e um logo e pronto, todo mundo enlouquecido. O melhor desse plano é que ele permite os jogos em questão de serem reapresentados em várias E3, e toda santa vez os fãs alucinam de felicidade.

Sim, eu estou sendo tremendamente ácido, mas é verdade. E, de boa, pessoalmente, não tenho problema com esses anúncios da Sony, acho legal que muita gente fica animada com eles, sem contar que deve ajudar bastante para medir as reações do público e assim guiar o desenvolvimento do jogo. E, para dar crédito pra empresa, ela tem promovido diversas franquias novas nos últimos anos, como Horizon Zero Dawn.

Outra coisa que ela faz que ajuda muito é jogar o jogo de verdade no palco. Quando deu aquele pau em Uncharted 4 durante a conferência de 2015, todo mundo ficou impressionado porque a demo funcionou depois e assim mostrou que o que estava sendo exibido era real e não era um trailer com um cara fingindo que estava jogando.

Então, o que esperar da Sony este ano? Todos os jogos que ela anunciou no passado e que ainda não ganharam uma data de lançamento, como Final Fantasy 7 Remake, God of War 4, Days Gone, The Last of Us 2 e o jogo do Homem-Aranha da Imnsoniac com demos de verdade no palco, menos o FF7, que a Square ainda não deve ter começado a modelar o cabelo do Cloud. Além deles, mais um monte de anúncios muito legais e excitantes para 2020, aproximadamente, como Kingdom Hearts 3.

Além dos jogos, acredito que ela vá alardear bastante o PS4 Pro pra bater de frente com o Scorpio, e acho até que ela vai diminuir o preço da máquina. Imagino também que todo santo jogo anunciado vá ter um adendo explicando como ele fica melhor no Pro. O interessante vai ser comparar com as versões Scorpio dos jogos.

A grande pergunta, pra mim, é o PSVR. Ele vendeu bem? Pelo que a Sony fala, sim, bem o bastante, mas tenho a impressão que ele não causou a revolução da realidade virtual que muita gente estava prevendo, e como a Sony é craque em ignorar hardwares que não alcançam todo seu potencial de vendas, acho que ele vai ser deixado em segundo ou terceiro plano durante a conferência. Tipo, um jogo ou outro vai ter suporte pro acessório, mas não creio que tenha um “momento realidade virtual”, mostrando todas as experiências loucas que viveremos nela.

Eu sei que este é o Palmer Luckey, da Oculus, concorrente do PSVR, mas acho que esta é a imagem perfeita pra estampar a revolução da realidade virtual.

O meu chute delirante pra Sony? O PS Plus virar logo de uma vez um Netflix de games. Você paga uma assinatura e pode baixar e jogar todo e qualquer jogo oferecido pelo serviço enquanto você for assinante sem depender dos jogos escolhidos do mês ou do mês que você se tornou um assinante. A Microsoft está fazendo quase isso com o Xbox Games Pass e a Nintendo anunciou que vai fazer esse sistema com os jogos de NES, mas eu acho que a Sony devia chutar o pau da barraca e implementar este sistema logo de uma vez e assim garantir ainda mais sua liderança no mercado.

Sim, eu sei que esse sistema possui diversos entraves, principalmente em relação às third-parties, e que muito provavelmente ele não é economicamente viável, afinal de contas o Netflix tem mais de US$3.000.000.000 em dívidas, mas na minha cabeça a Sony está numa posição tão boa no mercado que ela conseguiria negociar e tornar real um serviço desses. E, obviamente, se ela oferecer isto, a percepção de valor do PS4 iria aumentar ainda mais, assim como suas vendas.

Mas, como falei, é muito provável que esse tipo de serviço só traga prejuízo e nem a Sony, nem a Microsoft, nem a Nintendo, nem a Valve jamais venham a oferecer um verdadeiro Netflix de games. Eu avisei que era um chute delirante.

Nintendo 13:00 13/06/2017

Finalmente, hora da Nintendo. Vamos lá. Não é como se o vídeo já não estivesse longo o bastante.

Pra começar, é preciso ver a posição em que a empresa se encontra. Em anos que ela está bem, ela anuncia pouco. Em anos que ela está desesperada, ela anuncia muito. E, nos anos que ela desistiu do WiiU, ela não anuncia porra nenhuma.

No momento, o Switch está indo muito bem, então não creio que ela tenha revelações muito bombásticas pra fazer. Por isso, acho que o Spotlight dela vai focar mesmo em Mario Odyssey, Splatoon 2 e ARMS. Sim, até mesmo em ARMS, pois a Nintendo adora falar de jogos que estão prestes a ou acabaram de lançar.

Além desses três, acho que veremos mais de Pokkén Tournament DX, Xenoblade Chronicles 2 e Fire Emblem Warriors. Também veremos o DLC de Zelda e alguns jogos menores pra download, como Battle Sports Mekuru.

Aliás, acho que ela só vai focar no Switch durante o Spotlight, deixando os jogos de 3DS para o Treehouse Live, o livestream de jogos que ela faz da E3.

Pronto, essas são as minhas previsões sensatas.

Só que eu quero acreditar que teremos algo mais. Não estou falando do meu chute delirante, ainda vou falar dele, mas eu realmente quero acreditar que a Nintendo vai ter mais alguma coisa pra mostrar, que ela tem uma surpresa para nós.

Não espero uma surpresa tão grande quanto o anúncio de Twilight Princess foi, mas também acho que nada jamais alcançará o nível desta surpresa.

E eu acho que essa surpresa está ligada à Retro Studios, de Metroid Prime e Donkey Kong Country Returns. Tropical Freeze lançou em 2014, e acho que está mais do que na hora de mostrar o que o estúdio está preparando pra nós. Pelo que ouvi falar nas internets, não vai ser um Metroid nem um Donkey Kong, mas fora isso não faço idéia do que está por vir. Uma franquia nova? Um spin-off de Mario? Um F-Zero? Ou, quem sabe, o glorioso retorno de StarTropics? Fico animado só de pensar nas possibilidades.

O que nos traz para o meu chute delirante: trilogia Dark Souls para o Switch.

Não sei se deu pra perceber, mas eu tenho um tipo de paixão platônica pela série Souls. Vivo citando ela quando falo de Zelda, mas nunca joguei nenhum dos jogos. E nem é uma questão de impossibilidade de acesso, pois tenho um PS3, poderia muito bem ir atrás de alguns jogos da série, mas desde que a Nintendo anunciou as empresas parceiras que estão trabalhando no Switch e a FromSoftware estava lá, eu fiquei com essa idéia fixa na cabeça de jogar um jogo da série Souls num portátil da Nintendo. Pra eu poder treinar este jogo em qualquer lugar. No sofá. Na cama. No metrô. Na rua. Na chuva. Na fazenda. Ou numa casinha de sapê. De sapê.

Vejam se vocês acham a From Software aí no meio, deixei uma pistas pra ajudar.

E qual seria o ideal para os fãs da Nintendo, que nunca tiveram um jogo da série à sua disposição? Uma coletânea com os três jogos, de preferência com os DLCs inclusos. Iria ser sensacional.

Isso vai acontecer? Não creio. Acho que no máximo sai uma versão meia-boca do 3, que nem a EA fez com Mass Effect no WiiU, que vai vender mal pra burro e aí a FromSoftware nunca mais vai lançar nada decente pra consoles Nintendo.

Só que eu quero sonhar.

Conclusão

Enfim, essas foram as minhas previsões e meus chutes delirantes pra E3. Se eu acertar algum deles, muito legal, mas mantenham suas expectativas em baixa. Mas e você? Tem alguma previsão pra esta E3 que gostaria de compartilhar? Ou algum chute delirante? Deixe aí nos comentários e…

Até a próxima!

Comentários