29 jun

Sobre a posição da Sony em relação à cross-play

Então, dois dos anúncios mais inesperados e legais desta E3 foram que dois jogos, Minecraft e Rocket League, ganharão funcionalidade cross-play! Viva!

VIVAAAAAA!!!

…Não esse tipo de cross-play. Estou falando de jogadores de diferentes plataformas jogar entre si. Num futuro não muito distante, um jogador da versão iOS de Minecraft conseguirá visitar o mundo de um jogador da versão Xbox One, por exemplo, ou um jogador de Rocket League para PC poderá competir contra um do Switch.

Um dos aspectos mais surpreendentes desses anúncios foi que a Nintendo, uma empresa muito fechada e com políticas online tremendamente arcaicas, topou permitir cross-play das versões Switch desses jogos. Foi um certo choque pra mim, fã de longa data, ver a empresa adotando uma postura tão pró-jogador e cooperando com os desenvolvedores, e um deles é a Microsoft, ainda por cima.

Todavia, o mais surpreendente não foi a cooperação da Nintendo, mas a recusa da Sony, pois as versões Playstation não se comunicarão com as versões Xbox e Switch.

O que é uma atitude bem cretina por parte dela. Pra piorar, a desculpa que ela deu foi, assim, muito, muito escrota. Ridícula.

Mas o que mais me irrita nisso tudo é que eu entendo perfeitamente porque ela adotou essa postura.

Esta é a transcrição do vídeo de mesmo nome que está no meu canal do YouTube. Vão lá conhecer!

Vamos começar com a desculpa da Sony, e porque ela é escrotíssima.

Falando para o site Eurogamer, Jim Ryan, chefe do departamento de vendas e marketing do Playstation, afirmou que a Sony não possui, assim, um motivo filosófico maior para impedir o cross-play, mas sim que a questão é que a Sony possui um acordo com seus consumidores de que ela irá prover um serviço online sob a curadoria dela, e que o cross-play iria tirar das mãos dela esse controle, potencialmente arruinando a experiência para seus jogadores.

Esta é a primeira parte da desculpa, já vou chegar na segunda, mas até aqui ela até faz sentido, pois de fato se algum problema acontece numa partida cross-play, para o jogador de Playstation a culpa vai parecer que é da Sony, mesmo quando não for. Ao diminuir as variáveis online, a empresa consegue proteger melhor sua imagem, e não duvido que realmente fique mais fácil de administrar a experiência.

O problema é que essa justificativa é uma hipocrisia do caralho porque já existe cross-play entre o PS4 e o PC para Street Fighter 5 e para o próprio Rocket League. Se for pra falarmos de variáveis online, os PCs introduzem muitas mais que o Xbox ou o Switch, não tem nem o que discutir. Se a idéia realmente fosse proteger a qualidade dos serviços online do Playstation, não haveria nenhum tipo de cross-play e ponto, ainda mais com PCs.

Sem contar que, historicamente, os consoles da Sony foram os que mais comprometeram os dados pessoais de seus usuários, então se dentro dessa parte da desculpa existir alguma preocupação com segurança, a Sony devia parar um pouco e se olhar no espelho, que vai tomar no cu, né?

Só que, até aqui, a desculpa da Sony só é hipócrita pra caralho e razoavelmente escrota, é na segunda parte que ela fica escrotíssima e ridícula.

Continuando a elaborar sua resposta, Jim Ryan afirmou que como os jogadores de Minecraft tendem a ser bem jovens, crianças ainda, é responsabilidade deles cuidarem do que elas acessam através dos seus produtos.

Muito bem.

Então.

Seguinte.

Toda vez que alguém usa a desculpa “alguém pense nas criancinhas”, eu começo a me incomodar. Que muitas vezes ela é vazia e acompanhada de uma atitude desnecessariamente paternalista que trata os pais como completos imbecis. Acreditem, eu sei bem como é isso porque sou fã da Nintendo há muito tempo, e ela já fez muito isso.

Porém, como não tenho filhos, não posso realmente opinar com propriedade sobre como proteger as crianças do ambiente hostil que elas podem encontrar online, por mais que eu ache que, neste caso, a Sony poderia simplesmente acrescentar uma funcionalidade de controle dos pais em que eles optam por permitir o cross-play ou não.

Todavia, se esse realmente fosse o problema, ela não deveria ter permitido o cross-play com PCs em Street Fighter 5 e Rocket League. Principalmente no segundo caso, que é um jogo com indicação etária livre. Ou seja, mais hipocrisia, agora com criancinhas, o que aumenta o nível de escrotice da desculpa.

Mas existe ainda mais um problema: ela implica que nem a Nintendo nem a Microsoft se preocupam com os seus jovens jogadores. É como se a Sony quisesse alardear que só ela realmente cuida das criancinhas, enquanto que seus concorrentes não se importam com as criancinhas, e alguém tem que pensar nas criancinhas, não é mesmo?

Sony, Jim Ryan, Helen Lovejoy, vão tomar no cu.

Existe competir e existe ser um escroto. Falar de como seu produto dá mais liberdade aos jogadores que o do seu concorrente é competir. Insinuar que seus concorrentes não se importam com as criancinhas que usam seus produtos é escrotice.

E isso não passou desapercebido pelo chefe da divisão Xbox, Phil Spencer, que numa entrevista para o site Giant Bomb falou sobre como esse tipo de atitude não é saudável nem para os jogadores e nem para a indústria dos games como um todo. Ele ficou realmente ofendido com essa insinuada de que a Microsoft, dona de Minecraft, não entende a responsabilidade que tem com seus jogadores mais jovens.

Sem contar que a Nintendo, a mais super-protetora e paternalista de todas as empresas de games, topou fazer o cross-play. Até ela percebeu que todos os envolvidos querem o que é melhor para os seus jogadores, e que ninguém quer pôr nenhum dos seus consumidores em risco, independente da idade deles.

É por isso que essa desculpa da Sony atingiu um nível ridículo de escrotice crônica, pois não apenas ela foi tremendamente hipócrita como ela também foi injusta, difamadora e falsa. Puta merda, como essa desculpa foi escrota.

Tendo dito tudo isso, eu entendo por quê ela não quer permitir cross-play com o Xbox e o Switch. Estou falando do real motivo, e não dessa desculpinha de merda que ela deu.

Vamos pensar juntos: o que a Sony tem a ganhar ao permitir o cross-play com os outros consoles? Não estou falando dos jogadores de Playstation, estou falando da empresa em si: o que ela ganha com isso?

Ela estaria anunciando seu console para os consumidores dos concorrentes, como vi algumas pessoas afirmarem? Como? A única forma que consegui pensar é se o lobby online mostrar muito mais jogadores de Playstation, levando os jogadores a se perguntar por que tanta gente prefere a máquina da Sony e convencendo-os a comprar um console novo na base da mentalidade de rebanho, mas esse cenário me parece tremendamente improvável. Não sabemos que tipo de informações sobre os jogadores serão compartilhadas, então a não ser que os jogadores dos outros consoles tenham acesso à lista de jogos que os jogadores de Playstation jogaram recentemente, não sei como ela estaria vendendo seu produto. Sem contar que há a chance do tiro sair pela culatra e seus consumidores acabarem se interessando mais pelos jogos que os jogadores de Xbox e do Switch jogaram recentemente, levando-os a comprar o console do concorrente.

A satisfação do usuário aumentaria com a disponibilidade de cross-play e isso seria bom para a empresa? Aqui, a pergunta é: quanto? Não estou negando que muito jogador de Playstation fosse ficar feliz de jogar com jogadores dos outros consoles, mas o que interessa pra Sony é: quão mais satisfeito ficará o seu consumidor médio com a existência de cross-play? A resposta que cheguei, e que acho que ela chegou também, foi: não muito mais. Essa questão do cross-play, no fundo, não é tão crucial para a satisfação dos consumidores quanto, por exemplo, ter jogos exclusivos como God of War ou Horizon. O plano da Sony para esta geração já está dando muito certo, a maior parte dos seus jogadores está muito feliz com o que seu aparelho oferece e a falta de cross-play não iria realmente mudar a curto e médio prazo a imagem do PS4 no mercado.

Como alguém que trabalhou muito com treinamento empresarial e de gestão, sei que toda empresa tem um esquema desses em algum lugar, e que 99% delas ignoram-o completamente.

O cross-play permitiria aos desenvolvedores fortalecer as comunidades em torno dos seus jogos, deixando-os mais felizes e satisfeitos ao se associarem à Sony e assim continuarem lançando seus jogos nas plataformas Playstation? De fato, mas qual desenvolvedor que não está sendo diretamente financiado pela Nintendo ou pela Microsoft não vai lançar seu jogo no console mais vendido desta geração? A Sony e todo santo desenvolvedor sabe o controle que ela tem sobre o mercado de consoles agora, então ela não precisa mais paparicá-los, que eles provavelmente irão até ela.

Com cross-play seria mais fácil e garantido para os jogadores entrarem online e acharem outras pessoas com quem jogar? Sim, provavelmente, mas isso é muito mais verdade para o Xbox e o Switch do que para o PS4. Esta é uma questão de números. Vamos supor que um jogo multiplataforma é comprado exatamente por 10% dos jogadores de cada console. Usando os números da Sony, isso daria aproximadamente seis milhões de jogadores no PS4. A Microsoft não divulga mais os números das vendas do Xbox One, mas seguindo algumas estimativas que achei online, teríamos cerca de três milhões. E no Switch, seguindo o que a Nintendo divulgou, seriam uns duzentos e setenta mil. Se eu fiz as contas direito, o cross-play triplicaria a chance de um jogador de Xbox encontrar alguém com quem jogar. Para um jogador de Switch, então, isso aumentaria em mais de trinta vezes! Já para o jogador de Playstation, seria um aumento só de cinqüenta porcento. Ou seja, do ponto de vista da Sony, seus concorrentes iriam oferecer uma experiência melhor às custas dela! Às custas do vasto mercado que ela conquistou! Sem contar que, para ela, é melhor que a experiência nos outros consoles seja ruim, pois isso torna o PS4 mais atraente.

Conclusão: cross-play não dá nenhuma vantagem digna de nota para a Sony a curto e médio prazo. Não apenas isso, como ajuda seus concorrentes. É por isso que, no final das contas, eu entendo a postura dela. O que não quer dizer que eu concorde, pois na minha opinião essa devia ser uma decisão para os desenvolvedores, e como cross-play provavelmente ajudaria-os a vender seus jogos e fortaleceria as comunidades em torno deles, acho a atitude da Sony nociva para a indústria como um todo. Sem contar a desculpinha escrotíssima que ela deu, mas é melhor que admitir em público que ela está cagando e andando para os jogadores de Xbox e Switch.

Talvez você esteja se perguntando: mas então por que ela libera cross-play com o PC? Porque ela não enxerga o PC como um concorrente direto, e eu acho que ela está certa nessa leitura. Se as vendas do PS4 provam alguma coisa, é que ainda existe um mercado para consoles, e que nem todo gamer casual migrou para smartphones e nem todo gamer hardcore migrou para o PC. Muitos gamers jogam em diversas plataformas, e para muitos deles o console cumpre uma necessidade, levando-os a ter um, além de um smartphone e um PC. Em outras palavras, a Sony sabe que muito jogador de PC tem também um console, por isso o cross-play entre essas duas plataformas não atrapalha tanto assim. Se ela pudesse, provavelmente liberaria cross-play de Minecraft com smartphones, mas a Microsoft provavelmente deve exigir tudo ou nada, e a Sony escolheu nada.

Cross-play de verdade, só pra jogador de PC.

Tendo dito tudo isto, acredito que eventualmente ela irá mudar de idéia. Existe um motivo pelo qual estou batendo na tecla do “a curto e médio prazo”, pois acredito que a longo prazo ela irá enfrentar as conseqüências negativas dessa recusa. Não duvido que na próxima geração os desenvolvedores migrem em massa para o Xbox por achar que lá eles obtém mais liberdade e respeito, levando com eles muitos consumidores. Toda vez que um fabricante de consoles age de maneira arrogante, a indústria e o próprio mercado tendem a retaliar. É só a Sony lembrar que ninguém quis arranjar um segundo emprego só pra comprar o PS3. Jogadores querem jogos bons, e se o cross-play se tornar algo realmente importante para eles, a ponto deles considerarem as versões com essa funcionalidade superiores às versões sem, é bem capaz da Sony perder o controle que tem no mercado atualmente. Quando isso acontecer, podem ter certeza que ela vai liberar o cross-play das plataformas Playstation com os demais consoles.

Mas, no momento, sem cross-play para jogadores de Playstation com os outros consoles.

Enfim, essa é minha leitura da situação toda do cross-play no Playstation. E você? Concorda com a Sony? Discorda? Também acha que a desculpa dela é tremendamente escrotíssima, ou que é só hipócrita pra caralho? E quem vai pensar nas criancinhas? Deixe seu comentário aí e…

Até a próxima!

Comentários